header_domex2.png
capa_domex_wix.png

O espaço narrativo desconstruído através da sobreposição de distintos planos temporais. A nostalgia gráfica despida de sua habitual aura de simpatia. O espírito de cada época reduzido a um punhado de frases feitas. O questionamento sobre padrões de autoria e unidade visual. A banalidade da realidade que se impõe sobre qualquer filosofia ou ilusão. Geisel, Milli Vanilli e Proust. Tudo isso só para passar o tempo enquanto o que realmente importa não chega: a pizza.

Domex é uma narrativa em quadrinhos que mistura  pintura, antigos álbuns de figurinhas, desenhos que Gustavo fez na adolescência e arquivos de banco de imagem.

96 páginas

18 x 27 cm

capa dura

Veneta

2021

baixe

compre

domex_slider_01.png
domex_14e15.png
domex_24e25.png
domex_60e61.png
domex_32e33.png
domex_08_A.png
domex_08_C.png
domex_08_B.png
domex_08_E.png

Live de lançamento de Domex, novo quadrinho-experimento de Gustavo Piqueira!

O Gustavo se encontra com o designer editorial, pesquisador Bruno Porto pra falar sobre o livro, que, através do diálogo de um pai e um filho, traz à tona as diferenças de universo cultural das gerações no Brasil. A mediação fica por conta do Thiago Borges, jornalista da revista Banda e do blog O Quadro e o Risco.

Publicado no canal Editora Veneta, em 7 de abril de 2021.

Monstra Interpreta: Domex.

Aqui vemos uma interpretação ímpar de um recorte do quadrinho Domex, do Gustavo Piqueira.

Publicado no canal Loja Monstra, em 22 de abril de 2021.

Domex, o andróide.

Publicado no canal Central HQs, em 4 de maio de 2021.

Resenha – Domex (HQ).

Um homem indestrutível, com um lado máquina e outro humano. Sem moralidade, para qual todas as mulheres caem de amores logo que o vêem. Ao mesmo tempo que é defensor da humanidade, também não tem tantos escrúpulos morais, caso precise fazer uma atitude fora de um regimento considerado “aceitável”. [...]

Publicado no site Senta Aí, em 7 de maio de 2021.

Domex, de Gustavo Piqueira: uma comédia da representação

Domex, HQ de Gustavo Piqueira, mistura o ridículo e o absurdo de duas gerações através da exposição de seus estereótipos. [...]

Publicado no site Homo Literatus, em 24 de maio de 2021.